Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Eu e o meu amigo seitan.

cozinhado por Peixe Frito, em 28.02.18

Semana passada, fui a um restaurante vegetariano em Lisboa, que me encheu o coração. Já conheci vários, até de diferentes nacionalidades, mas nenhum como este. Veggie-chicha como sou, fiquei absolutamente abismada com o facto de me sentir tão feliz ao comer comidinha vegetariana sem sequer pensar que havia ali algum defeito, quer em relação a texturas ou confecção, mas mais ainda por não ter sentido a mínima sensação de dúvida de que iria comer daquilo para o resto dos meus garbosos dias, sem sentir uma ponta de saudade de comer carne. Sim... aconteceu-me dessa magnitude. Há anos que sou veggie-chicha, sem me converter totalmente ao vegetarianismo, e acho que este era o boost que necessitava para o fazer na totalidade e sem medos do que seja (não que houvessem, é apenas expressão).

Pois bem, sempre tive algumas cabeçadas valentes com o seitan. Ora exagerava no raio dos temperos ora não digeria bem o dito bichano. Chegou um dia, após tempos de insistência de o confeccionar de quinhentas maneiras, o deixei de lado. Até semana passada, entrar naquele restaurante demoníaco, que me fez voltar à carga com o seitan.

Verdade seja dita, que as receitas vegetarianas evoluíram e muito nos mais recentes anos e cada vez mais há opções de receitas fantásticas, coisa que há 15 anos não era tão fácil. Pelo menos, para mim.

Andei a cuscar e decidi fazer as pazes com o seitan. Encontrei esta receita que me parece maravilhosa. Aviso de antemão que palmei a foto do site, está bem? Fica aqui a receita para alguém experimentar, se se sentir tentado:

 

vegan-mongolian-beef-4.jpg

 

Seitan ao estilo Mongol

 

Ingredientes:

 

Para o molho:

2 colheres de sopa molho de soja

2 colheres de sopa açúcar granulado, coco ou açúcar mascavo orgânico

1/4 chávena de água

2 colheres de sopa água fresca

1 colher de chá amido de milho

 

Para o saltear:

50grs a 200grs de seitan cortado às tirinhas

2 colheres de sopa amido de milho

2 colheres de sopa óleo vegetal

2 dentes de alho picados

1 colher de chá gengibre fresco ralado

2-3 pimentas secas / malaguetas, divididas ao meio (opcional)

2 cebolinhas, cortadas em pedaços de 2 cm

 

Para servir:

Macarrão de arroz ou arroz cozido

 

A receita:

 

Faça o molho mexendo o molho de soja, o açúcar e 1/4 de chávena de água  juntos numa tigela pequena. Mexa o amido de milho e a água gelada juntos numa chávena pequena. Reserve.

Escorra o seitan e descarte o líquido. Coloque a massa de milho numa tigela média e adicione as tiras de seitan. Mexa para envolver o seitan com a mistura.

Cubra o fundo de uma frigideira grande com óleo e coloque em fogo médio-alto. Adicione o seitan de modo a cobrir o fundo da frigideira e evitando que se sobreponham os pedaços. Cozinhe até que as tiras estejam douradas e com as pontas ligeiramente fritas,durante cerca de 4-5 minutos. Mexa e cozinhe 4-5 minutos mais, até que as tiras estejam douradas e fritas em ambos os lados. Retire o seitan da frigideira e transfira para um tabuleiro revestido com papel de cozinha. Diminua o fogo para médio. Adicione o alho, o gengibre e as pimentas / malaguetas secas na frigideira. Salteie 2 minutos, até as pimentas / malaguetas escurecerem um pouco e se começar a notar uma fragrância do salteado. Adicione novamente o seitan na frigideira com o molho, mistura de amido de milho e cebolinhas. Mexa algumas vezes para misturar bem e cozinhar uniformemente e cozinhe apenas até que o molho se torne muito grosso, cerca de 2 minutos.

Coloque o macarrão de arroz cozido ou o arroz numa tigela e cubra com o seitan. Sirva imediatamente.

 

vegan-mongolian-beef-3.jpg

Bom apetiteeeeeee!

 

 

Fonte

Autoria e outros dados (tags, etc)

tumblr_mtzvvyKGhC1qhlsrfo1_1280.jpg

 

Hell yeah!

Como se a minha fritadeira do coração não me bastasse e após ter criado um segundo blog de... de...! coisas que penso, lá dizem que à terceira é de vez e decidi criar este novo espaço, por um simples motivo:

Cada vez mais, tento e dedico-me a cozinhar comida vegetariana ou mais saudável possível - se bem que não resisto a uma boa sopa de feijão, confesso! - e gosto muito de navegar pela net, à procura de receitas para testar e integrar na minha vida. Por vezes não é fácil, seja pelos ingredientes que as próprias receitas saudáveis têm - assim umas coisas esquisitóides de vez em quando - seja porque me dão extremo trabalho a cozinhar e eu não me apetece naquele dia, mas não quero confort food - além de que no dia a seguir, necessito de levar marmita para o trabalho.

A ideia é ir partilhando por aqui receitas que vou encontrando e que acho interessantes para quem têm as mesmas questões que eu - ou não. Naturalmente que eu sou eu e não prometo que não saia alguma bardajada pelo meio do post, mesmo sendo uma receita.

Depois não digam que não avisei.

Dito isto, nasceu "As formigas não gostam de canela". Para quem lê a fritadeira, não se deve ter admirado minimamente por eu ter adoptado este nome, mesmo não tendo o mínimo sentido para um blog de receitas. Se bem que fala de canela. E de formigas - há quem coma formigas! Os papa-formigas, por exemplo. Bem visto bem visto, até têm tudo a ver com receitas.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D