Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Agora é que vai ser!

cozinhado por Peixe Frito, em 04.01.19

Pois é! Isto das modas das resoluções de novo ano, não me assistem. Porém, independentemente de ser início do ano, decidi tentar - novamente - que a minha alimentação se tornasse totalmente vegetariana. Porquê? Me perguntam vocês, criaturas. Pois bem, porque eu sigo os princípios da Ayurveda e sei o quanto me sinto bem ao consumir maioritariamente refeições de base vegetariana. No meu dia-a-dia, cada vez consumo menos carne de bitxo, à excepção de peixe que ainda vou ratando. Insisto para que seja vegetariana na maioria das refeições - o que acaba por acontecer no meu aquário - mas também não me armo ao cardo se tiver na casa de alguém e a refeição tiver xixinha afoita a ser trincada. Apenas no meu aquário, faço questão, para mim, de ser maioritariamente vegetariana. Busco e invento muitas receitas mas confesso que muitas que encontro não me tocam no coração - há muitas coisas pouco saudáveis, na verdade - e que às vezes, ainda tenho alguma dificuldade em fazer a minha organização mental de compras para só vegetarianismo e para as receitas. São muitos anos a cozinhar de modo carnívoro, com molhos, natas e cenices dessas, de modo que sou paciente comigo mesma. Cada vez mais, está a ser mais intuitivo.

Pois, onde quero eu chegar com esta conversada toda? O Universo é como é, e ontem dei de trombras - do nada - com o Desafio Vegetariano. Guess what? Hell yeah que me inscrevi. E estou em pulgas para o desenvolvimento da situação.

full_TKx2s4t9.png

De modo que me desejem boa sorte, que adore esta experiência e que finalmente atinja o meu objectivo de ser vegetariana - me perdoando por um deslize ou outro, naturalmente, que ainda possa acontecer.

E, convido-vos a experimentarem também! Porque não? O desafio é de um mês. E passa na brida. Ponderem... Não me vou por para aqui a apelar ao sentimento e tal e os bitxos e a economia e o impacto ambiental.. Nada disso. Para mim, é algo que se sente por nós e não por modas nem por influências externas. Eu, como já dei la miré em cima, quando comecei a integrar a Ayurveda na vida, há uns anos já, tive impactos de várias maneiras em mim. Foi a adaptação a certas plantas, maneiras de ser e estar na vida e a hábitos alimentares. Mas não mudei logo para o vegetarianismo. Observava as respostas do meu corpo à alimentação vegetariana e fui, gradualmente, incluíndo na minha vida. Sim, porque ser-se radical, para mim, é do pior. Não há nada como se ser gradual e sentir em nós, o que nos faz sentir melhor, melhor saúde física, emocional e mental. Tudo é um. E todos se nutrem uns aos outros ou desiquilibram.

Posto isto, era fantástico que acrescentassem às vossas resoluções de ano novo, para quem as têm, a possibilidade de aderirem a um desafio destes. Nem que seja pela experiência. Quem beneficia acima de tudo, são vocês. Quer acreditem, quer não. Se não quiserem alinhar, convido-vos a passarem a palavra, pois quem sabe, não haverá por aí mais alguém como eu e que o Universo anda a congeminar um encontro de terceiro grau com aquilo que andamos a pensar fazer ou mudar em nós.

E assim, lá vou eu, bela e amarela com a ovelhinha amarela!

Autoria e outros dados (tags, etc)


"Pudim" de chia e matcha

cozinhado por Peixe Frito, em 11.04.18

Como com muitas coisas na vida que eu aprecio do coração de degustar, o chá verde matcha é sem dúvida algo que se encontra no meu top 5. Encontram-se receitas maravilhosas com este ingrediente. Confesso que ao início fiquei renitente: "eish, fazer receitas com matcha. Deve ser um belo desperdício de chá e deve ficar uma bela nhanha." Não podia estar mais enganada em relação a isso. Já experimentei uma receita "minha", inspirada por algo que vi aí pela net: muffins de chá verde matcha com nozes picadas. Acreditem, irão amar como eu. Posteriormente, postarei essa receita e logo me dirão.

 

Agora, um pouco sobre o matcha.

Consiste num chá verde, originário do Japão, e é apresentado sob a forma de um pó esverdeado. 
Os chás são ótimos aliados da perda de peso. Durante muito tempo, um dos mais consumidos para atingir esse objetivo foi o chá verde, devido às suas propriedades termogénicas, ou seja, de aceleração do metabolismo. 
O matcha, assim como o chá verde e o chá preto, é extraído da planta camellia sinensis. A diferença entre os tipos de chás extraídos dessa mesma planta são elementos como a fermentação e maturação das folhas. O matcha é obtido a partir das folhas mais jovens do chá verde, originadas de plantações protegidas da exposição solar. Após recolha, as folhas são trituradas muito lentamente num moinho de pedra, até que estejam reduzidas a pó.
O pó é mais concentrado que os outros chás provenientes da camellia sinensis, ou seja, possibilita resultados mais rápidos. Para além de ajudar no emagrecimento, o matcha tem outros efeitos positivos no organismo, como na redução dos níveis de colesterol, na prevenção do cancro, entre outros.

(fonte)

E alguém sabe os seus benefícios? 

1) Efeitos calmantes: a alta concentração de L-teanina no Matcha é uma aliada e tanto para combater o stress mental e psicológico.

2) Vitalidade: sabe aquele vigor de que precisamos eventualmente no meio da tarde, quando bate um sono? O Matcha tem alto poder revitalizante, ajudando na concentração. 

3) Protege a saúde: uma chávena de Matcha contém 10 vezes mais antioxidantes do que a mesma quantidade de chá verde a granel de alta qualidade. O que significa que estamos diante de uma bebida que é um poderoso reforço na luta contra os radicais livres, que provocam o envelhecimento precoce. 

4) Poder diurético: o Matcha contribui para a diminuição da retenção de líquidos no nosso organismo, o que é uma ajuda e tanto para eliminar inchaço em várias partes do corpo.

5) Sacia a fome: devido à presença de um antioxidante que estimula a libertação de uma hormona chamada CCK (colecistocinina), a bebida ajuda a enviar ao nosso cérebro a informação de que o estômago está cheio e conferir a sensação de saciedade.

(fonte)

Quanto a mim, eu consumo-o mesmo porque adoro aquele sabor típico e porque sou uma cházeira assumidíssima. Não foi necessariamente pelas propriedades terapêuticas: mas se faz bem, melhor ainda!

 

E a receita Peixa, gaja?

ChiaPud-4.jpg

(foto palmada daqui)

Antes de tudo devo adverter queeeee tenham moderação a ingerir as sementes de chia. Por muitas propriedades belas e amarelas que elas tenham, nunca devem ser consumidas sem serem "ensopadinhas" primeiro, dado que podem inchar dentro do vosso organismo e entupir os canais digestivos, especialmente o canal excretor... se é que me entendem. Okay, é preciso abusarem na chia mas ainda assim, sempre demolhadas primeiro, está bem? Segundo, o excesso de consumo de chia, pode originar em constipações intestinais e diarreias. Bem como dores abdominais. Por isso pessoal, é muito benéfica, mas moderada. Nada de comer chia diariamente como se fosse um snack.

 

Posto isto, vamos lá então falar da receita. Para mim, é ideal para ir consumindo nos lanchinhos durante o dia: a meio da manhã ou a meio da tarde. Há quem goste de comer ao pequeno almoço, é como tudo: vocês logo sentirão quando é para vocês a altura do dia para fincarem o dente a este "pudim" de chia e matcha. E em relação aos ingredientes, não são obrigados a usar tudo vegetariano ou vegano. Dá para adaptar conforme a vossa alimentação. O importante é dar-se um resultado que apreciem e seja saudável.

 

Pudim de chia e matcha

 

Ingredientes

1 chávena de leite (soja/amêndoa/côco/vaca)

2 colheres de sopa de agave (pode ser mel/stévia/açúcar)

1 1/2 colher de sopa de chá verde Matcha em pó

1/4 chávena de sementes de chia

 

Numa pequena taça, misture o matcha com o leite, mexendo bem para não ficar com grumos. Adicione o agave (mel/stévia/açúcar) e misture bem. Junte as sementes de chia, dê uma mexidinha e coloque nos recipientes finais de consumo. Deixe repousar de um dia para o outro - fazer à noite e no dia seguinte de manhã já está pronto a levar uma trinca. Pode colocar topping: seja fruta fresca a gosto, como mirtilos, framboesas, morangos, granola e muesli a frutos secos como nozes, passas, cajus ou até côco ralado - Dica: frutos secos são sempre consumidos ou demolhados ou tostados, para permitir uma melhor absorção dos nutrientes pelo nosso organismo.

Eu costumo fazer esta receita sem ser com matcha por vezes, substituindo o matcha por côco ralado.

Obs.: Não coloquem este "pudim" a cobrir totalmente o recipiente final pois as semente hidratam e incham. Certifiquem-se sempre que deixam espaço para não transbordar o conteúdo depois de demolhadas.

E usem recipientes pequenos. Tipo boiãozinho de fruta. Dada a situação do consumo excessivo da chia.

Matcha-Chia-Pudding-Motive-Nutrition--683x1024.jpg

(imagem palmada daqui)

 

Et voilá! Espero que gostem!!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Ora cá vai a primeira...!

cozinhado por Peixe Frito, em 03.01.18

Ah pois é! Primeira partilha de receita do ano. Ironicamente não é vegetariana eheh Porém, uma receita que ao tempo queria experimentar e ainda não tinha feito. Aparte de não ter tirado fotos - desculpem os leitores (se existem) mas eu não tenho grandes tendências de andar de máquina fotográfica ou telemóvel em punho a tirar fotos a mim ou a tudo que se mexa ou a tudo o que faço - irei ter esse factor em consideração no próximo(s) post(s). Assim sendo, a foto é mesmo roubada do site onde fui tirar/inspirar a receita.

salmao-34.jpg

 E tomara a mim, conseguir cozinhar algo com ar tão esplêndido e digno de ser emoldurado!

Qual a receita? Já devem estar vocês a bufar.

Pois, é assim. A receita é Salmão com molho de soja.

Nada podia ser tão básico e simples do que esta receita. Até um preguiçoso se mexe para a fazer.

 

Ingredientes:

- Lombos de Salmão (eu usei daqueles lombinhos congelados que descongelei previamente)

- 1 colher de sopa de molho de soja

- 1 colher de sopa de açúcar mascavado ou amarelo (usei amarelo. Só depois de tudo feito é que encontrei o mascavado a espreitar lá na prateleira)

- 1 colher de sopa de óleo vegetal (azeite foi o que usei. na próxima, sésamo)

- Cebolinho a gosto

- Orégão a gosto

- uma pitadinha de sal (com o molho de soja até não convém exagerar)

- Água q.b. (um pouquinho mesmo só para não tornar o molho de soja tão intenso)

 

Colocar as postas de salmão a marinar no molho feito com o molho de soja, óleo vegetal, açúcar, ervas aromáticas, sal e água, durante duas horas.

Agora, das duas uma: ou grelham o salmão depois de marinado ou colocam no forno a assar (180ºC) durante uns 10 minutos, envolto em papel vegetal, também sem a marinada. Um embrulhinho catita, colocamos num recipiente de ir ao forno e lá vai ele assar.

Podem adicionar espargos para assarem em conjunto com o salmão, por exemplo.

A acompanhar, eu fiz massa com o intuito de desfiar o salmão e misturar na massa, sem grandes coisas.

 

Obs.: Como tudo, há variantes da receita. Aliás a acima é uma variante minha eheh

Nas ervas aromáticas podem por alecrim e pimentas, se preferirem. E adicionar sumo de meio limão e sumo de meia laranja, à marinada, retirando a água.

Ter sempre em mente que o salmão é um peixe rico e "godinho", mas passa do ponto com facilidade ou se a posta for muito grossa, pode enjoar, pelo que limão é sempre boa aposta para cortar precisamente essa gordurita do bichito.

Bom proveito!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D